Publicado em

Participe do 2º Prêmio Kindle de Literatura (2017)

Concurso literário de romances Amazon Kindle

Sabe o estímulo que você estava querendo para terminar de escrever seu livro que tem tudo para virar Best-Seller, mas que foi engavetado por preguiça ou falta de tempo? Acabou de encontrá-lo. Estar na hora de voltar a trabalhar em seu livro, pois é com ele que você poderá participar da 2ª edição do Prêmio Kindle de Literatura – o vencedor, além de ter seu livro publicado pela Editora Nova Fronteira (versão impressa), receberá um prêmio em dinheiro no valor de R$ 30.000,00.

Pois é, após o sucesso de 2016, Amazon.com.br, por meio da sua ferramenta de autopublicação Kindle Direct Publishing (KDP), com o apoio da Editora Nova Fronteira, convida autores a participar da segunda edição do Prêmio Kindle de Literatura.

São elegíveis ao Prêmio as obras de Romance, isto é, uma narrativa ficcional longa enquadrada em qualquer subcategoria, como: Fantasia, Ficção Científica, Suspense, Histórico, Infanto-Juvenil, entre outras.

Você tem 90 dias para publicar seu livro digital em português de forma independente na Amazon através do KDP – leia sobre como publicar no KDP. Inscrições serão aceitas do dia 1º de agosto até o dia 31 de outubro de 2017.

Os livros serão avaliados com base em critérios como criatividade, originalidade e qualidade da escrita, por um júri formado por especialistas selecionados pela Nova Fronteira. O júri escolherá cinco obras finalistas e, dentre elas, o livro vencedor do 2º Prêmio Kindle de Literatura.

As Obras Inscritas deverão ser escritas em língua portuguesa, por autores residentes no Brasil, na categoria Ficção/Romance. As obras devem ser inéditas, não podendo ter mais de 25% de seu conteúdo publicado anteriormente, mesmo que digitalmente. Também não podem ser relacionadas a outras obras do mesmo autor ou de autores diferentes (inclusive no que diz respeito aos personagens, que devem ser inéditos) e não podem fazer parte de uma série.

Veja mais informações sobre o Prêmio no site www.amazon.com.br/premiokindle e participe.

Prêmio Kindle de Literatura 2017

Publicado em

Como publicar seu livro gratuitamente pela Amazon

Existem várias possibilidades para publicar um livro gratuitamente hoje em dia e que esse foi o que obtive melhor resultado.

Imagem promocional do Conto Desconectado (Samuel Oranjee)Conheci o KDP (a plataforma de auto publicação da Amazon) na época que comprei meu Kindle. Em meio a busca por livros gratuitos e formas de melhor usufruir do meu mais novo dispositivo de leitura de livros digitais acabei encontrando um livro chamado “Preparando o seu livro para o Kindle” e alguns outros que faziam referência a publicação pelo KDP. Resolvi pegar um texto antigo, revisei e publiquei, em pouco tempo comecei a receber os royalties por vendas. Ou seja, testado e aprovado.

E o melhor é que atualmente a Amazon está pagando aos autores, que publicarem pelo KDP e disponibilizarem seus livros no Kindle Unlimited, por cada página lida de seus livros pelos usuários deste serviço.

A Amazon tem um serviço chamado de Kindle Unlimited. Este serviço dá acesso ilimitado a milhares de eBooks para ler à vontade.
Por apenas R$ 19,90 ao mês, você pode ter acesso a um mundo de conhecimento e títulos de todos os gêneros. Resumindo: o Kindle Unlimited é bem parecido com a Netflix, mas ao invés de filmes são livros. Clique aqui e conheça o serviço, primeiro mês é gratuito.

Agora sim, vamos falar sobre como publicar…

Para ser um autor de verdade é essencial presar pela qualidade dos textos que irá publicar, afinal você pode conquistar uma boa ou má reputação.

Não fique apenas no sonho, coloque a mão na massa e escreva. Quando seu texto estiver pronto, leia um pouco sobre a formatação ideal do seu arquivo DOC no livro digital “Preparando o seu livro para o Kindle” que está disponível gratuitamente na Amazon. Clique aqui e baixe no seu Kindle (ou aplicativo Kindle).

Para se inscrever no KDP (ou acessar pela sua conta na Amazon), clique em “Publique seus livros” na parte inferior da página inicial da Amazon. Quando estiver em sua área da KDP, clique em “Conta de [Seu Nome]” e não esqueça de adicionar sua conta bancária para receber seus pagamentos. Por isso, você tem que ter no mínimo 18 anos ou usar a conta de um responsável, nesse caso mesmo que a conta seja no nome da sua mãe, na hora de publicar você coloca seu nome como autor (os dados fornecidos no formulário do livro, não modificam os dados de sua conta. Eu, por exemplo, uso pseudônimo).

Agora, que você já se cadastrou no KDP, é só clicar neste quadradinho com a instrução “Criar Novo Livro” e fornecer as informações sobre o livro. Nele você pode criar a capa do livro ou fazer upload de uma capa que já tenha feito em seu editor de imagem predileto.

Print da Dashboard da plataforma KDP
Print da Dashboard da plataforma KDP

Após publicar, seu livro estará disponível para venda na Amazon em mais ou menos 48 horas. E, de acordo com as minhas observações, você receberá seus royalties independente do valor acumulado (se for só R$0,07, eles depositarão estes R$0,07). Seus royalties serão depositados da seguinte forma: Nos primeiros dias de maio são depositados seus ganhos acumulados de março, em junho os de abril, e assim sucessivamente. Obs.: Antes de depositar, a Amazon envia um e-mail alguns dias antes, avisando sobre o depósito dos royalties que farão na sua conta bancária. Para saber o valor, basta acessar o “relatório mensal”.

Atualmente, é possível disponibilizar uma versão impressa do seu livro para venda na Amazon nos EUA, na Europa e no Japão. E não adianta disponibilizar seu livro para venda em outros países, se você só tiver conta corrente em seu país.

Resumidamente, é isso aí. Mas não esqueça de conhecer mais sobre o regulamente do KDP… Você realmente precisa saber o que pode ou não fazer, enquanto seu livro estiver disponível no KDP.

Abraço, espero ter ajudado… Qualquer dúvida, deixe nos comentários.

Publicado em

[Resenha] O Menino de Vestido

Quando algumas pessoas viram que eu estava lendo O Menino de Vestido do David Walliams (Autor de Vovó Vigarista), olharam estranho para mim. Então, talvez por um momento, me tornei o menino que estava lendo O Menino de Vestido. Assim como eu, algumas pessoas – mesmo que nunca tenham usado vestido – conseguirão se colocar no lugar do nosso personagem principal.

O Menino de Vestido é um infanto-juvenil, que eu indico para crianças de 7 a 12 anos, mas não há restrição de idade para este livro. É uma leitura rápida, cheio de imagens e pode ser lido por qualquer pessoa que tenha interesse no assunto. Mas já aviso que o enredo pode ser bem óbvio para os leitores adultos e final um tanto fantasioso.

Não é spoiler escrever que, em algum momento da história, o personagem principal usa vestido – o próprio título revela. O Menino de Vestido conta a história de Denis, que mora com seu pai e irmão. Após serem abandonados pela mãe, o pai de Denis impôs um monte de regras na casa. Entre elas: Não falar sobre a mãe, não chorar e, principalmente, não abraçar. Mas a regra de abraçar tem uma exceção, durante as comemorações dos jogos televisionados de futebol. Ah, ele adora futebol e joga super bem.

Denis sente falta da mãe, sente falta de um carinho antes de dormir, entre outras coisas. Um dia, ele ver um vestido parecido com um da sua mãe na capa da Vogue e decide comprar a revista. Pareceu embaraçoso para ele comprar uma Vogue, assumir então que admirava aqueles vestidos coloridos era outra história. Será que seu melhor amigo continuaria sendo seu amigo, se descobrisse sobre a revista? Seu pai, aquele que impôs a regra que meninos não choram, aceitará que seu filho leia a Vogue?

Denis é um garoto sensível que, apesar de jogar e gostar de futebol, admira vestidos coloridos e com paetês.

A imagem que o leitor tende a montar sobre Denis muda quando Lisa entra na história. Lisa é uma linda garota, admirada por sua beleza. Denis tem a oportunidade de falar com ela durante um castigo na escola, os dois se tornam bastante próximos por causa do gosto em comum por moda. A amizade deles é tão linda que dá para shippar* fácil os dois. *Shippar: Torcer pelo casal.

Com Lisa, Denis não precisa esconder seu gosto por moda e até chega a experimentar um vestido. Ele ficou tão bem no vestido que Lisa o convence a fingir ser uma estudante de intercâmbio. Então, neste momento ele passa a ser O Menino de Vestido.

Apesar das pessoas ligarem o vestido a sexualidade, O Menino de Vestido não é um livro sobre sexualidade. Ele é sobre diferenças, aceitações ou não aceitações delas e passa uma mensagem positiva sobre o quanto somos úteis para o próximo (mesmo quando somos considerados diferentes).

Você pode adquirir o livro na Amazon, clicando no banner acima ou aqui.

Momento propaganda: A maior parte de leituras que faço é utilizando o meu Kindle. O Kindle é um dispositivo apropriado para leitura. Parece um tablet, mas não reflete a luz ambiente, não cansa os olhos e proporciona a sensação de estar vendo um livro. Clique aqui e veja mais detalhes sobre o Kindle [com valor mais acessível] na loja da Amazon, no final da página há uma comparação com versões mais sofisticadas.

Publicado em

[Resenha] Simon vs A Agenda Homo Sapiens

Um pedaço da imagem da capa do livro Simon vs A Agenda Homo Sapiens

Simon vs A Agenda Homo Sapiens da Becky Albertalli, lançado no Brasil pela Editora Intrínseca. É um livro contado em 1ª pessoa por Simon que tem 16 anos e é gay, mas ninguém sabe. Ele estava deixando o drama de sair ou não do armário para depois, mas um bobão da escola descobre que Simon está trocando e-mails com um garoto misterioso que se identifica como Blue e passa a chantageá-lo.

Se Simon não ceder, seu segredo poderá ser divulgado no Tumblr de sua escola e, para piorar, sua relação com Blue poderá chegar ao fim – antes mesmo de começar. O fato é que, mesmo também usando um pseudônimo, Simon sente que Blue faz seu coração bater mais forte a cada dia. Simon só terá que encontrar uma forma de sair desta situação sem prejudicar a chance de encontrar à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.

Você pode ler uma amostra deste livro, que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, no frame abaixo:

Simon vs A Agenda Homo Sapiens é um livro encantador e super fofo que trata com leveza um tema ainda tão tabu que é a homossexualidade, fazendo o leitor refletir e incita-o a quebrar paradigmas, sem ser excessivamente dramático.

Simplesmente amei a história e me senti de alguma forma conectado aos personagens, tanto que tirei um dia para terminar a leitura – mesmo que isso significasse que eu terminaria de lê-lo às 2h da manhã.

Valeu cada hora e eu leria novamente.

Onde comprar o livro Simon vs A Agenda?

Ao comprar através dos links indicados abaixo, você estará ajudando este blog a se manter no ar.

Compre a versão impressa:
Amazon Brasil
Americanas
Submarino

Compre a versão digital:
Amazon Brasil

Publicado em

Vale a pena comprar um leitor de livros digitais?

Kindle - leitor de livro digital
Há pouco mais de 2 anos comprei um Kindle e hoje estou aqui para responder se vale a pena comprar um leitor de livros digitais. Escrevo este texto baseado na minha experiência com o meu Kindle, mas imagino que vale para Kobo, Lev e qualquer outro e-reader que surgir.

Como toda pessoa apaixonada por livros, já tive diversas fases: a) fui rato de biblioteca, b) sonhei em ter minha própria biblioteca em casa, c) fui mendigo de livros, d) fui um consumista compulsivo e e) acompanhei canais com conteúdos literários no YouTube. Nesta última fase, ouvi falar dos leitores de livros digitais. E foi aí que a minha história com o Kindle e a Amazon iniciou.

Leitor de livros digitais (e-Reader, em inglês) é um pequeno aparelho que tem como função principal mostrar em uma tela, para leitura, o conteúdo de livros digitais (e-books) e outros tipos de mídia digital. […] O mais famoso deles é o Kindle, criado pela empresa estadunidense Amazon, que lançou seu primeiro modelo nos Estados Unidos, em 19 de novembro de 2007; e no Brasil em outubro de 2009.”, segundo o Wikipédia.

Confesso que não foi uma decisão fácil de ser tomada, porque envolvia um custo de pelo menos R$299 (Duzentos e noventa e nove reais).

Durante uma aula na faculdade, notei que o novo professor de Comércio Eletrônico tinha um Kindle do mais simples. Em uma conversa informal, ele me convenceu a comprar um Kindle pela Amazon internacional porque saia mais barato (mesmo pagando em dólar). Criei minha conta na Amazon e estava pronto para finalizar a compra, quando descobrimos que, depois que lançaram a Amazon no Brasil, os não-residentes dos Estados Unidos não poderiam mais comprar pela Amazon internacional.

Passou um tempo e fiquei recebendo no meu e-mail as promoções da Amazon, pois criei a conta no site. Até que lançaram a promoção do dia dos namorados, todos os modelos do Kindle estavam com R$80 de desconto (se não me engano). E, por está solteiro, resolvi correr o risco e me presentear com o Kindle mais simples. [Falo “correr o risco” porque sempre fui de preferir tocar o livro, sentir o cheiro de livro novo ou velho e o prazer de folheá-lo.]

Clique aqui e verifique se há alguma promoção para comprar seu Kindle hoje. A Amazon sempre faz ofertas relâmpagos, então fique de olho.

A entrega do meu Kindle ocorreu bem antes da data esperada. A embalagem era tão linda e elegante que fiquei com pena de violá-la. Sem contar que senti que a Amazon estava me incentivando a publicar meu próprio livro pela sua plataforma KDP e ganhar royalties por vendas.

Eu, sinceramente, não esperava gostar tanto do Kindle a ponto de me arrepender de não ter investido no Kindle Paperwhite com iluminação embutida. Ele se tornou meu companheiro de viagens e me poupa de colocar 3 ou 4 livros pesados em minha bagagem. Sem contar que não precisei imprimir tantos artigos que estudei, enquanto desenvolvia o meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso).

Abaixo, listo as vantagens e desvantagens de possuir um Kindle, leitor de livros digitais. E espero, que a partir desta lista, você possa refletir se vale a pena comprar um leitor de livros digitais.

Vantagens e desvantagens do Kindle

  • A Amazon não aceita pagamento através do boleto bancário, até o momento desta postagem;
  • A Amazon conta com muitos livros gratuitos: obras em domínio público e obras de artistas independentes;
  • Os valores dos livros digitais, aqui no Brasil, ainda não são tão baratos;
  • A Amazon faz muitas promoções e distribui cupons de descontos. Algumas vezes é possível comprar um ebook utilizando apenas um cupom, sem pagar 1 centavo;
  • Ao confirmar o pagamento de um ebook, ele será enviado imediamento para o seu Kindle;
  • Não que eu recomende, mas não posso negar que há sites que disponibilizam download ilegal de livros no formato ideal para o Kindle;
  • É possível fazer destaques de frases durante a leitura e compartilhá-los em suas redes sociais;
  • É possível consultar dicionário de sinônimos sem sair da leitura (se você instalar, claro, o dicionário do idioma desejado);
  • É possível acessar seu acervo através do aplicativo Kindle em outros dispositivos (PC, celular, tablet), se conectados a sua conta Amazon;
  • Quando tentar abrir o livro em um dispositivo que a leitura deste esteja avançada em outro, aparecerá um aviso perguntando se você deseja ir para a posição mais avançada de sua leitura;
  • Um Kindle (sem capa) pesa, em média, 130 a 205 gramas;
  • Tem a capacidade de armazenar milhares de ebooks;
  • É possível organizar os ebooks por pastas, mas, ao menos no meu que é mais antigo, não é possível criar subpastas dentro destas pastas;
  • A bateria dura semanas em standby;
  • É preciso conferir se está com bateria antes de sair de casa ou levar para uma viagem;
  • Atualmente, todos os modelos são touch screen (tela sensível ao toque);
  • Conta com uma tela anti-reflexo, assim a iluminação ambiente não atrapalhará sua visão da tela e não cansará seus olhos;
  • Possibilidade de aumentar e diminuir o tamanho da fonte (letra), também rotacionar a tela;
  • Enviar arquivos para o seu Kindle pelo endereço de e-mail exclusivo dele ou passar arquivos por USB, se estiver sem conexão ou outro motivo;
  • Por parecer com um tablet, pode ser atraente para ladrões;
  • Por ser pequeno e leve, cabe facilmente no bolso… Assim, ele também pode ser facilmente esquecido em lugares ou sofrer alterações/danos em suas estruturas por causa da forma de transporte e conservação;
  • Alguns modelos contam com iluminação interna, ideal para leituras noturnas;
  • Desconheço modelos com tela colorida;
  • Ao menos eu, me desconecto do mundo real e acabo lendo muito mais em menos tempo.
Publicado em

Nerve – O filme sobre o “Baleia Azul”?

Nerve imagem promocional Emma Roberts

Recentemente, ao ser adicionado ao catálogo do Netflix, o filme Nerve foi destaque em diversos portais de notícias por seu enredo lembrar o jogo de desafios suicidas “Baleia Azul”. Nós, do blog Só Acho, já assistimos ao filme e iremos compartilhar nossa opinião com você.

Nerve (Um Jogo Sem Regras) é baseado em um livro homônimo, lançado muito antes que o “Baleia Azul” fizesse suas primeiras vítimas. Portanto, apesar de lembrar o jogo, o filme não foi baseado no jogo. [Para conhecer o livro, clique aqui.]

O enredo do filme é centrado na personagem Venus/Vee (Emma Roberts), uma estudante do ensino médio que decide participar do jogo online de desafios chamado Nerve onde os players (participantes) – incentivados por prêmios em dinheiro, status sociais, adrenalina e motivos pessoais – cumprem desafios propostos por hackers e transmitidos ao vivo pelos watchers (observadores). O jogo é atraente, divertido e também perigoso. Ainda mais para uma garota insegura que vive à sombra da amiga bonita e popular do colégio e que descobre em Nerve a possibilidade de provar a si mesma que nem tudo parece ser como é, ou como fazem parecer.

Emma Roberts e Dave Franco em Nerve

Nerve atrai facilmente essa geração de redes sociais por transformar o telespectador em um usuário watchers (observador) do jogo. E, não bastasse essa fórmula, o filme também adiciona uma história romântica entre os personagens de Emma Roberts e Dave Franco, que mostram uma boa química. O elenco também conta com a presença de Miles Heizer (Alex, da série 13 Reasons Why) e Samira Wiley (Poussey Washington, da série Orange is the New Black).

O filme superou as nossas expectativas, por isso indicamos Nerve. Ele nos levou a refletir sobre o quão muitas pessoas correm desesperadas por status, curtidas, seguidores e, por quê não, dinheiro.

Publicado em

Ops! Essa página pode não ser o que você procurava.

Olá, já deu para perceber que o soacho.com mudou o visual. Não é apenas uma impressão, realmente estamos iniciando uma série de mudanças para melhorar o site – incluindo troca de plataforma e formato de links.

Caso esta não seja a página que você procura, navegue pelo site para explorar as novidades ou clique aqui para ver as postagens do blog. Ainda estamos em fase de transição.